segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Igreja vs Internet – Wilson Dias

Desde criança lá pelos anos de 1.968 - sempre fui aficionado por tecnologia, ficção e coisas futuristas. Gostava muito de assistir seriados na televisão como perdidos no espaço, terra de gigantes e túnel do tempo e quando via um filme ainda em preto e branco onde o ator dirigia um carro conversível e ao mesmo tempo falava ao telefone – ficava pensando quando um dia isso podia ser possível na vida real e se no futuro ia ter a oportunidade de presencial tal fato. Então esse futuro chegou rápido – o que era ficção tornou-se realidade e hoje com o advento da globalização a informação é muito veloz.

Só para se ter a ideia da velocidade da informação é só você fazer uma pesquisa no Google com nome “Igreja” – o retorno da pesquisa será de 112.000.000 (Cento e doze milhões) de resultados em apenas 0,62 segundos – ou seja, quase a metade de um segundo. (Fonte: Google - https://www.google.com.br/#q=igreja – acessada em 27/02/2017).
Mais ai você pode estar se perguntando – o que tem a Igreja haver com isso?
A igreja, considerando os meios de comunicação virtual disponíveis, sejam elas as redes sociais, blogs, e-mail marketing, figuram de forma modesta e não possuem a devida compreensão de como utilizar esses recursos em benefícios da membresia e dos não crentes.
Embora algumas igrejas utilizem meios de transmissão dos seus cultos via internet, rádios e suas programações, facilitando o acompanhamento dos seus membros mesmo em um lugar remoto, necessitam ainda romper um paradigma que é a comunicação com os nãos crentes – utilizando uma linguagem acessível que não seja tão convencional para que as mensagens façam sentido, facilitando a sua percepção com vistas à clareza do Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo.
Às vezes associar o marketing a igreja e tratar a fé como um produto, para nós cristãos, soa meio que constrangedor – no entanto não podemos deixar de considerar que a internet existe e no atual contexto não se pode mais fazer vistas grossas a ela.
Apesar de muitos considerarem tudo isso como um mundo virtual, ele é real e está ai para desafiar quem não está conectado a ele.
A igreja precisa e deve desenvolver estratégias para utilizar estes meios na melhoria do relacionamento dos membros, propagação do evangelho para os não crentes, tornar a igreja conhecida em sua área geográfica, disseminar conteúdo evangelístico de alto valor agregado e atrair novos membros.
Compreendemos que este assunto ainda é muito incipiente em se tratando de igrejas, fique a vontade para participar da discussão, você também pode tirar dúvidas nos enviando um email para azobrazil@brazilmail.com ou acessando nosso portal web www.azobrazil.com.br.